terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Escândalo Madoff


Lista de bancos afectados por escândalo Madoff não pára de aumentar.


"Bancos britânicos, suíços, italianos, espanhóis, franceses e japoneses revelaram, esta segunda-feira, ter investimentos nos fundos Madoff, num total de milhares de milhões de dólares.

O último a anunciar possíveis perdas com a fraude foi o banco holandês Fortis, que admite perder cerca de mil milhões de euros nesta gigante burla financeira.

Também o Dexia anunciou ter perdido mais de 85 mil milhões de euros, sendo que os clientes mais ricos do banco franco-belga poderão ser lesados em 78 milhões de euros.

No total, os bancos europeus enfrentam perdas superiores a 12 mil milhões de euros, com a maior fatia a pertencer aos pequenos bancos privados da Suiça, que podem ter sido lesados em cinco mil milhões de euros.

Na vizinha Espanha, as perdas rondam os quase 2500 milhões de euros, sendo que nove fundos de pensão e três seguradoras estão também expostas à fraude.

Das instituições que estão no mercado português, só o grupo Santander revelou ter exposição directa e de clientes a fundos de Bernard Madoff. O banco admitiu ter investido 17 milhões de euros em produtos Madoff.

A exposição do sistema bancário português a esta fraude está ainda a ser avaliada pelo Banco de Portugal e pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Bernard Madoff, antigo presidente do Nasdaq, é acusado de uma das maiores fraudes financeiras de sempre nos Estados Unidos, nomeadamente um roubo de pelo menos 50 mil milhões de dólares, que está a infectar uma série de bancos a nível global. " ( In http://tsf.sapo.pt , 15-12-2008)


A questão que se coloca neste momento, poderá ser, não obstante da importância de outras, qual a margem de retoma de confiança que possuímos neste momento, depois desta "bomba"? Será esta crise apenas de carácter económico-financeiro? Ou, porventura, estará a afectar, também, o panorama social global?

Muitos Economistas comentam, tecem as suas opiniões que, infelizmente, considero algo supérfulas. Afirmo isto apenas por duas ordens de razão: Como restaurar, definitivamente, a confiança, já outrora perdida, nos grandes monopólios economicistas? Que medidas empreendedoras serão mais importantes, fulcrais e necessárias implementar para retomar o crescimento Económico-Social a nível internacional? As ideias já estão a começar a aparecer. O grande problema é o tempo que demorará a colocar em prática mais o tempo que demorará a surtir efeitos. É com pesar que afirmo que ainda estamos muito longe de retomar a estabilidade.

Um bem Haja!